segunda-feira, 14 de maio de 2012

BF entrevista: Sandra Alencar - cabeleireira do Maison Beleza

Nós mulheres adoramos mudar! Isto é público e notório! risos!
Mudar de roupa, mudar o batom, mudar os acessórios, a cor do esmalte, o estilo do corte de cabelo... ops! Problema!!! 

Na maioria das vezes, quando uma mulher decide mudar o cabelo assim, de uma hora para outra, segundo a Sandra Alencar, cabeleireira do Maison Beleza, nossa entrevistada de hoje, é porque aconteceu algo sério ou ela esta de TPM! risos!

Esta é a figura mais legal que conheci nos salões de beleza da vida!!! Tem uma personalidade forte e um coração de ouro! Muito verdadeira, ela não se permite fazer o que dá na telha das clientes! 
Chegou com pedidos estranhos, ela analisa e se for contra, diz não mesmo ao serviço!!! risos! 
Perde a cliente, mas não faz um estrago!!! hahaha! Afinal, é o nome dela enquanto profissional gabaritada!


Quando ela disse isto no meio salão lotado, todas nós, clientes e funcionárias, paramos para refletir! 
Não era de um todo verdade, mas também não era mentira! Eu mesma me lembrei que, na minha 7a série, cortei o cabelo na orelha, mesmo sendo gordinha, porque um paquera não gostava de mim... 
Pois é, pasmem! A gente faz cada loucura capilar por impulso, não é? Confessem também! =)

Sandra diz que quando chega alguém dizendo: "- Quero mudar tudo, corte, cor, textura! Lhe entrego meus cabelos!", é porque a coisa está feia!!
 Então entra a em cena a figura da cabeleireira psicóloga! 

A técnica dela para evitar desastres movidos por falsos desejos de mudança é pedir que a cliente penteie as madeixas. Se a pessoa partir no meio, ela já sente que a personalidade da pessoa não vai combinar com um estilo moderno e rebelde, assim, de uma hora para outra... risos! São anos de prática e de convívio com muitas mulheres. hahaha!  Ela já aprendeu a ler a linguagem corporal de suas clientes...

Então ela sugere: "- Vamos fazer uma hidratação ou vamos aparar a franja..." kakakaka! Algo para distrair a pessoa, elevando a estima, mas sem ser nada muito brusco, pois se passar a tesoura ou aplicar uma química, depois de uma semana volta a cliente querendo desfazer tudo de novo, só que nem sempre é possível, né galera, não tão rápido... Aí lá se vai mais gasto de dinheiro, perda de tempo e, porque não dizer, sofrimento, afinal nenhuma mulher quer ficar sentindo-se feia por 6 meses enquanto espera crescer ou reparar o erro da coloração muito radical...


Olha ela em ação, escovando o cabelo da cliente no dia do evento em homenagem ao dia das mães que comentamos aqui. Percebe-se logo o quanto ela tem um estilo próprio e único, mesmo usando a tendência ombré nos cabelos!

Do lado esquerdo da foto está a Jane, fazendo o famosíssimo serviço de desenhar as sobrancelhas! risos! 
Vejam um close nas duas:


Ambas usam o ombré, porém em tons diferentes! E cada uma possui um estilo, percebem? Não é por ser moda, o look já passou a integrar a imagem que cada uma delas quer passar! Mesmo sendo irmãs, são totalmente diferentes, independentemente de usarem quase o mesmo corte e tipo de cabelo...

Mas, sim, voltando ao tema da conversa, concordam com Sandra? Temos mesmo este impulso emocional vinculado aos nossos cabelos?  Deles dependem nosso estado de humor? 
Bom, vou confessar... comigo é verdade... Não sei com vocês!

Uso meu cabelo do mesmo jeito há muito tempo, desde que conheci meu noivo! 
As mudanças ao longo dos anos foram mínimas: tonalidade do loiro das luzes, um corte um pouco mais repicado... 

Mas, a vez que pintei de preto (isso mesmo, preto), não estava numa fase legal de minha adolescência, risos! Foram os dois erros capilares que cometi por impulso! Cortar na orelha e pintar de preto!!! Depois disso, parei! Quando estou mal, mudo a cor das unhas, compro roupas novas, uso batom vermelho, mas mexer no cabelo, nevermore!

O lema que a Sandra defende é de que não existe uma tendência única para cortes e cores de cabelo, e que, se existissem, não deveriam variar com as estações do ano, muito menos com o estado de espírito das pessoas. 

Ela prega que cabelo é estilo individual, compatível com a personalidade da pessoa, e não um acessório de moda. É preciso casar a vontade da cliente de mudar, com a razão e a técnica para que não saia nada errado. "Não adianta querer ter o cabelo da Gisele, se você não tem o dinheiro para investir, nem a disciplina para cuidar, pois aquele cabelo dá trabalho, precisa de manutenção e não combina com todo mundo!" - Diz a cabeleireira !!! 

Mas, de tanto que pressionei, ela disse que o que mais pedem no salão são as pontas ombré (Milca já falou aqui) e o corte em camadas/repique com navalha. 
Segundo ela, o público baiano ainda é conservador no que toca ao comprimento dos cabelos! Nada de muito curtos! risos! Também são poucas as que desejam ser ruivas... Pelo menos lá, no Maison Beleza...

Posso dizer que Milca é exceção nas duas coisas, pois já cortou "curto" - vejam aqui, e já foi ruiva!!! hahaha! Se bem que agora o cabelo dela está super comprido de novo e ninguém consegue convencê-la a voltar para o vermelho! risos! Eu tentei !!! 
Vamos pedir a ela para postar uma foto ruiva? Campanha? Vocês endossam? =P

Bom, meninas, essa foi a minha entrevista com a Sandrinha... como disse, concordo com ela em muitas coisas, como, por exemplo, que com cabelo não se deve agir por impulso e que não dá pra seguir tanto assim o modismo, pois, apesar de crescerem e ser possível corrigir, a verdade é que o cabelo é a moldura do rosto e expressa nossa identidade, então não podemos ficar a mercê do modelos pasteurizados que nos ditam, concordam?

Tanto é verdade que, mesmo morrendo de vontade, Milca não fez o sonhado ombré e reluta para mudar de corte, demora, pensa reflete... analisa de novo! hahaha! É assim que tem que ser! 
Esta é a nossa opinião... qual a de vocês? 
Acham que cabelo é acessório e seguir a moda por estação faz parte, ou cabelo é identidade e que com isso não se brinca? O blog quer saber!!! 

Enquete!!! Participem, ajudem-nos e ajudem ao Maison Beleza, queremos saber o que vocês pensam sobre o assunto e o que querem realmente as baianas para seus cabelos!!! 

Bjos.

Adriana Carneiro.

9 comentários:

Nós 3. disse...

Adorei as dicas! =D

Post novo lá no blog!
http://desafiodamoda.blogspot.com.br/

Quesia Leal 24 Anos disse...

Dica boa em adorei
eu quase raspei meu cabelo kkkk
já eu não gosto do meu cabelo comprido da trabalho e o calor então
por isso imaginei um dia raspar isso foi sério porém faria isso se eu fosse pra bem longe, longe de tudo e de todos ainda tenho coragem kk

Arinalva disse...

Cabeleireira tem que ser um pouco psicóloga mesmo kkkk, legal o post.


Dá uma passadinha no Mademoiselle, tem post novo.
Bjs

www.mademoisellebahia.blogspot.com

Dorothy Brechó disse...

Adorei a entrevista! E com cabelo não se brinca! rssss

Bjs

http://dorothybrecho.blogspot.com.br/

Dorothy Brechó disse...

Adorei a entrevista! E com cabelo não se brinca! rssss

Bjs

http://dorothybrecho.blogspot.com.br/

Milca Pimenta disse...

Pois é, tb já fui bem menos conservadora com meu cabelo! Já foi curto, super longo, loiro, vermelho e até preto azulado. Como disseram Adriana e Sandra, depende muito da fase pela qual estamos passando!
Eu continuo morrendo de vontade de fazer ombré, mas não mexo no comprimento tão cedo! Atualmente, preciso multiplizar minhas horas vagas e, por mais incrível que pareça, o cabelo curto me toma mais tempo do que o longo! E e maioria das pessoas afirma exatamente o contrário... vai entender, né?

bjs

Ale e Gabi disse...

Oie Adriana,
Eu concordo,para ter o cabelo da Gisele Bint,voce presisa tratar bem,fazer hidratanção,pentear muito bem pois se voce não penteia não ativa a circulação capilar!!Presisa ser tradato muito bem!!

www.alebelacoma.blogspot.com
Bjs
Boa Semana
Tem post novo...

Adriana Carneiro disse...

Meninas, que bom que gostaram do post! A Sandra vai ficar feliz! bjos

Camila Freiper disse...

Adorei o post Adri!!! Você como sempre trazendo coisas novas para o blog!!!

Beijos,

www.amigaphyna.com